Translate this Page




ONLINE
5





Partilhe esta Página

                                             

                            

 

 

 


Dogman, de Matteo Garrone
Dogman, de Matteo Garrone

ENTRE AFETOS E INSTINTOS

 

O laureado DOGMAN, de Matteo Garrone (Gomorra, Reality e Tale of Tales), é um título que testa a capacidade do espectador de permanecer no limite entre a admiração pela gentileza e a revolta com a submissão. No cotidiano retratado pelo filme em uma periferia italiana, as fronteiras são dispersas entre os afetos próximos e a violência da realidade fora do ambiente de conforto. O premiado ator Marcello Fonte interpreta o protagonista de mesmo nome, um pai divorciado muito carinhoso com a filha e modesto trabalhador bem-sucedido em seu pequeno negócio, pois é feliz e realizado nas suas tarefas diárias.

 

Marcello é um homem franzino e tranquilo que trabalha em uma espécie de petshop na periferia suspensa entre a metrópole e o deserto, onde prevalece a lei do mais forte. O nome do estabelecimento é Dogman. Assim como os cães, que podem ser dóceis e fiéis, o ser humano carrega dentro de si o instinto animal pela sobrevivência e defesa. Por isso, o título do longa tirado da marca comercial da “lavaggio di cane” do protagonista carrega consigo uma mensagem.

 

Admirador da natureza e dos bichos, o dedicado pai planeja viagens de mergulho com a filha quase adolescente. Trata-se de outra metáfora de Garrone: com seu filme retratando um extrato da sociedade, ele promove um mergulho profundo na personalidade humana, com todas as suas dicotomias, imprevisibilidades e ausência de razão em certos momentos.

 

Querido pela vizinhança, o tratador de cães também trafica pequenas doses de cocaína para complementar a renda. Por isso, sofre manipulação do viciado Simone, um ex-pugilista que aterroriza o bairro inteiro. Edoardo Pesce também faz um trabalho magnífico na construção dessa violenta personagem. O longa é inspirado no chamado “delito do Canaro da Magliana”, como ficou conhecido o assassinato do ex-boxeador amador Giancarlo Ricci, ocorrido em 1988.

 

DOGMAN teve sua estreia mundial no Festival de Cannes do ano passado, sendo aplaudido por 10 minutos, e garantiu a Palma de Ouro de Melhor Ator para Marcello Fonte. Por sua ótima parceria, Fonte e Pesce dividiram o prêmio de melhor Ator do Nastro D’Argento (prêmio da crítica italiana de cinema). A obra foi uma das atrações do 8 ½ Festa do Cinema Italiano em 2018, tendo já sido exibido na Capital.

 

TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=eum93mpzpE0

 

Fonte: Jornal do Comércio/Caroline da Silva em 22/02/2019