Translate this Page




ONLINE
2





Partilhe esta Página

                                            

            

 

 


Três Livros Para Estudar (Sem Estar Estudando)
Três Livros Para Estudar (Sem Estar Estudando)

TRÊS LIVROS PARA ESTUDAR (SEM ESTAR ESTUDANDO)

LEITURAS AGRADÁVEIS, INTERESSANTES E QUE, DE QUEBRA, AJUDAM A REVISAR CONTEÚDO QUE CAI NAS PROVAS DO ENEM E DAS UNIVERSIDADES. VEJA AS DICAS DE LIVROS DOS PROFESSORES DE CURSINHOS PARA VOCÊ SAIR EM FÉRIAS, NÃO PERDER O FOCO NOS ESTUDOS, MAS, AO MESMO TEMPO, DIVERTIR-SE. LISTAMOS OBRAS QUE TRATAM DE HISTÓRIA, FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E ATÉ MESMO FICÇÃO PARA SERVIR DE COMPANHIA NA PRAIA OU EM CASA.

 

 

 

O QUE É CAPITALISMO – Afrânio Mendes Catani (editora Brasiliense, 144 páginas):
A obra faz uma abordagem sociológica e interdisciplinar que vai de Max Weber a Karl Marx e outros pensadores para traçar o contexto histórico do Capitalismo. A leitura é crítica, mas palatável e compreensível ao público em geral. A obra faz parte da coleção Primeiros Passos da Editora Brasiliense, que tem outros livros como O QUE É SOCIOLOGIA, de Carlos Benedito Martins, que também vale a leitura.

 

 

 

INCIDENTE EM ANTARES – Erico Verissimo (editora Companhia de Bolso, 496 páginas):
É um clássico do realismo mágico, vertente que mescla elementos reais com fantasia e tem uma linguagem coloquial. A primeira parte tem como pano de fundo acontecimentos históricos do Estado, como a Guerra do Paraguai e a Campanha da Legalidade. A segunda conta a história dos mortos da cidade de Antares. Dica do professor de literatura Marcos Bondan.

 

 

BRASIL: UMA BIOGRAFIA – Lilia Schwarcz e Heloisa Starling (editora Companhia das Letras, 846 páginas):
É um grande livro para ficar dentro da história do Brasil. Bem escrito, leve e nada cansativo. Do descobrimento até a idade contemporânea, as autoras destacam os acontecimentos mais interessantes desses mais de 500 anos, contados de forma original. A obra reúne documentação e aborda aspectos culturais e do cotidiano. Dica do professor de história Felipe Pimentel.

 

Fonte: ZeroHora/Caderno Educa em 4 de fevereiro de 2016.