Translate this Page




ONLINE
6





Partilhe esta Página

                                            

                            

 

 

 


Coleção Bibliofilia
Coleção Bibliofilia

TRÊS VOLUMES SOBRE O AMOR PELOS LIVROS

 

A Ateliê Editorial e a Edições Sesc São Paulo lançam a COLEÇÃO BIBLIOFILIA, com três volumes, em formato de bolso, sobre o amor pelos livros. A coleção surge justamente em um momento de profundas mudanças no mundo do livro e do impresso, as quais tocam, tanto a produção editorial quanto as formas de transmissão da linguagem escrita e seus mecanismos de recepção. O amor ao livro permanece para os colecionadores experimentados, leitores em geral e para os jovens amantes da leitura. O amor ao livro se converteu em movimentos de valorização da bibliodiversidade.

 

O QUE É UM LIVRO? (72 páginas), de João Adolfo Hansen, nascido em 1942, professor da USP, crítico literário, ensaísta e historiador da literatura brasileira, é o primeiro volume da coleção. O autor nos convida a refletir sobre os múltiplos significados do livro, um objeto artificial, material e simbólico, mercadoria, produto acabado de vários processos intelectuais, técnicos e industriais. O autor nos fala de hierarquização, divisão em categorias e dos livros como objetos de memória. Passa por figuras como Homero, Ovídio, os irmãos Grimm, Borges e Padre Antônio Vieira e aborda questões como a censura e o controle e mostra as mudanças nos modos de ler, trazidas pelas novas mídias. João fala da origem do livro, reconstrói a Biblioteca de Alexandria e trata da preservação dos grandes textos e como o leitor é parte fundamental do mundo do livro.

 

 

DA ARGILA À NUVEM (136 PÁGINAS), segundo volume da coleção, foi escrito pelo francês Yann Sordet, arquivista, paleólogo e ex-diretor do Departamento de Obras Raras da Biblioteca Sainte-Geneviève e atual diretor da Biblioteca Mazzarine, a mais antiga biblioteca pública da França.

 

Sordet nos mostra, através de minuciosa análise histórica dos catálogos, registros, inventários, índices, listas etc. e da atividade dos bibliotecários que os organizam, a importância do tema. O livro é ricamente ilustrado com fac-símiles de alta resolução de alguns catálogos antigos. A obra fará a alegria de bibliotecários, entusiastas da catalogação e todos interessados em tipografia, produção gráfica e editoração.

 

 

A SABEDORIA DO BIBLIOTECÁRIO (148 páginas), terceiro volume da coleção, de autoria do bibliotecário francês Michel Melot, ex-diretor do Departamento de Estampas da Biblioteca Nacional da França e da Biblioteca Pública de Informação do Centro Georges Pompidou e ex-presidente do Conselho Superior de Bibliotecas Francesas, presta uma homenagem aos profissionais da biblioteconomia e ressalta a importância do trabalho deles, que, muitas vezes, auxiliam o leitor perdido em uma infosfera atordoante. O bibliotecário é sábio porque sabe que nunca conseguirá abrir todos os livros e ama os livros como o marinheiro ama o mar. Melot também presta homenagem às bibliotecas e lembra que o bibliotecário é o primeiro autor de sua biblioteca.

 

Melot descreve com minúcias da profissão, com paixão e autoridade, e mostra os dilemas e contradições do ofício, bem como fala da temida “morte” do bibliotecário.

 

 

Como se constata, a COLEÇÃO BIBLIOFILIA atualiza informações e paixões sobre o livro. O livro é um dos maiores objetos de design já criados pela humanidade e, depois de ter adquirido formas diferentes em milhares de anos, segue encantando leitores ao redor do mundo. De fato, mesmo depois de tantas inovações nas comunicações, em especial nos mundos eletrônicos e digital, o livro impresso segue com sua mística especial. Nada substitui o prazer da leitura solitária e silenciosa do livro impresso. O livro impresso toca a sensibilidade, a imaginação e a inteligência de crianças, jovens e adultos como nenhum outro meio de comunicação. É muito bem-vinda a COLEÇÃO BIBLIOFILIA.

 

Fonte: Jornal do Comércio/Jaime Cimenti (jcimenti@terra.com.br) em 15/03/2020