Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
11





Partilhe esta Página

                                             

                            

 

 

 


Um Detetive e seu Enigma
Um Detetive e seu Enigma

 

UM DETETIVE E SEU ENIGMA

 

O ESCARAVELHO DO DIABO, LIVRO INFANTOJUVENIL DA COLEÇÃO VAGA-LUME QUE FAZ SUCESSO HÁ GERAÇÕES, GANHOU UMA VERSÃO MODERNIZADA PARA O CINEMA.

 

Com um a linha de produção marcada por poucos sucessos de bilheteria abaixo da crítica e muitos filmes – bons e ruins – que passam batidos somando um punhado de espectadores, o cinema brasileiro perdeu entre esses dois extremos o espaço ocupado pelos filmes voltados ao segmento infanto-juvenil.  A investida na formação de público, que décadas atrás foi puxada por longas estrelados por nomes como Os Trapalhões e Xuxa, anda bastante tímida no país.  Por isso, existe certa expectativa pela estreia, nesta quinta-feira, de O ESCARAVELHO DO DIABO.  Trata-se da adaptação do livro da mineira Lúcia Machado de Almeida lançado em 1972 pela célebre Coleção Vaga-Lume, da editora Ática, onipresente no currículo escolar.

 

Por trabalharem com universos conhecidos de seu público-alvo, versões de sucessos da literatura infanto-juvenil formam um lucrativo filão da indústria cinematográfica internacional, vide o fenômeno HARRY POTTER.

- É um grande público potencial que ninguém mais atende no cinema brasileiro – diz Carlo Milani, 43 anos, diretor de O ESCARAVELHO DO DIABO.  – E essa é uma história muito bem guardada na memória afetiva de diferentes gerações.  Tem a ver com a nossa identidade, com nossa língua, combina suspense, humor e romance.  Eu li O  Escaravelho... na escola com 12, 13anos, e sempre imaginei como poderia ser contada na tela.

Milani faz sua estreia no cinema vindo de uma formação em novelas, séries e outras produções da TV Globo – ele é filho do ator Francisco Milani (1936-2005).  O diretor diz que O ESCARAVELHO DO DIABO começou a tomar forma há 12 anos, quando preparava seu trabalho de conclusão para o curso de cinema: 

- Cheguei em casa um dia e vi que minha filha estava lendo o livro para a escola.  A coincidência reforçou minha antiga vontade de fazer o filme.

 

 

O ESCARAVELHO DO DIABO apresenta um novo perfil do protagonista e do vilão e adiciona à trama elementos contemporâneos e algumas alterações.  A história se passa em uma cidadezinha do interior, onde um assassino em série tem como vítimas pessoas de cabelos ruivos, a quem manda como aviso um escaravelho dentro de uma caixa.  Após o assassinato do seu irmão, o menino Alberto (vivido pelo estreante Thiago Rosseti), decide bancar o detetive e junta pistas para perseguir o criminoso, auxiliando o delegado local (Marcos Caruso).  No livro, Alberto é estudante de Medicina.

- Diminuímos a idade do Alberto porque algumas atitudes de um jovem adulto de décadas atrás pareceriam meio ingênuas com a trama se passando nos dias de hoje.  E também para estimular a identificação do público escolar com o protagonista.  Foi necessário ainda incluir gadgets comuns aos jovens de hoje, como celular, videogame e tablete – explica Milani.

O diretor conta que o lançamento em período escolar, e não nas férias, faz parte da estratégia para potencializar o alcance – deve estrear com 300 cópias:

- Nosso objetivo é criar um boca a boca em casa e na escola, envolver alunos que estão lendo livro, pais que já o leram, professores e orientadores educacionais.  E, apesar de ser uma história sobre crimes, conseguimos abordar a violência e o suspense de modo não tão direto, o que nos permitiu obter a classificação indicativa para 12 anos.

 

SUCESSO ENTRE PAIS E FILHOS.

A história de O ESCARAVELHO DO DIABO foi primeiramente apresentada por Lúcia Machado de Almeida como uma série publicada na revista O Cruzeiro, em 1953.  O sucesso da trama policial, porém, veio somente em 1972, quando ganhou versão em livro pela coleção vaga-Lume, da editora Ática, com ilustrações de Mario Cafiero.

O ESCARAVELHO DO DIABO desde então foi adotado no currículo de escolas de todo o Brasil, tornando-se muito popular sobretudo nos anos 1970 e 1980.

É o segundo título mais vendido da coleção que é reconhecida por seu estímulo à formação de jovens leitores – já comercializou 7,5 milhões de exemplares de seus mais de 70 títulos.  O ESCARAVELHO DO DIABO foi relançado no final do ano passado – está na sua 27ª edição – junto com outros volumes populares da Vaga-Lume.

Trailer:  https://www.youtube.com/watch?v=7Me8iaVrOxU

 

Fonte:  ZeroHora/Marcelo Perrone (marcelo.perrone@zerohora.com.br) em 11 de abril de 2016.