Translate this Page




ONLINE
10





Partilhe esta Página

                                             

                            

 

 

 


Beatriz, de Alberto Graça
Beatriz, de Alberto Graça

DESEJOS EM LISBOA

 

Sergio Guizé e Marjorie Estiano vivem romance perigoso no longa BEATRIZ, rodado na capital portuguesa

 

A versátil interprete Marjorie Estiano estrela o longa BEATRIZ, gravado em Lisboa, em uma coprodução Brasil-Portugal, ao lado de Sergio Guizé – com dose de mistério perfeita para o papel. De Alberto Graça, a história aborda uma relação amorosa e suas obsessões. Situações limite que levam a protagonista ao paradoxo: “Como te amar sem me odiar?”.

 

Brasileiros, Beatriz e Marcelo são um casal jovem e apaixonado vivendo em Lisboa. Ele escreve um romance em que a esposa é musa inspiradora. Fascinada pela proposta do livro, ela alimenta os desejos e impulsos propostos pela personagem criada por ele, dando vida às fantasias sexuais – mesmo após a descoberta da gravidez. A ideia de um editor galego em adaptar a produção literária para o teatro também intensifica o rumo dos acontecimentos.

 

A partir daí, se expõem cada vez mais em um perigoso jogo de sedução com estranhos. O processo de criação domina o casal, revelando e questionando até onde se pode chegar por amor a alguém. Para Marcelo, a participação de sua mulher, como personagem, é fundamental para alimentar a criação. Mas o ciúme e a agressividade dele tornam o erotismo cada vez mais perigoso, pondo em xeque os limites do casal. “Dentro da psicologia e psiquiatria, a relação se chama ‘folie à deux’, ou loucura a dois. É um transtorno compartilhado, que passa de um para o outro, em uma aceitação total. Eles têm uma relação de dominância e submissão”, conta Alberto Graça.

 

Os bondes elétricos, as paisagens, os parques, a arquitetura e as paredes azulejadas da capital portuguesa ajudam a criar a atmosfera do longa, contrapondo passado e presente, contribuindo para um clima claustrofóbico e angustiante da narrativa. O título já foi exibido no Festival do Rio de 2015; no Festin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, em Lisboa, em 2016, e no Festival de Cinema Brasileiro de Paris e de Miami em 2017.

 

Nos últimos anos, Marjorie Estiano esteve em produções nacionais de diferentes gêneros: TODO CLICHÊ DO AMOR (2018), comédia romântica dirigida de Rafael Primot; o fantástico AS BOAS MANEIRAS (2018), de Juliana Rojas e Marco Dutra; o suspense AURORA (2016), de José Eduardo Belmonte, e a adaptação dramática de Borges GAROTO (2015), de Júlio Bressane. A atriz também está no ar com o a médica Carolina, no seriado televisivo SOB PRESSÃO.

 Trailer: 

Fonte: Jornal do Comércio/Cinema/Caroline da Silva em 09/06/19