Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
10





Partilhe esta Página

                                             

                            

 

 

 


Sandra de Sá, a Primeira Cantora Black
Sandra de Sá, a Primeira Cantora Black

A PRIMEIRA CANTORA BLACK

 

Na segunda metade dos anos 1970 o movimento Black Rio estava no auge, com dezenas de bailes na periferia e as gravadoras lançando artistas de sucesso como Gerson King Combo, Hyldon, Cassiano, a Banda Black Rio e o mais influente deles, Tim Maia.  Era a onda da soul music e do funk adaptados ao Brasil.  A primeira mulher cantora revelada por essa onda foi Sandra Sá, jovem carioca do subúrbio de Pilares.  A caixa ANOS 80 reúne os quatro LPs iniciais da cantora e compositora, lançados entre 1980 e 1984 e até agora inéditos em CD.  DEMÔNIO COLORIDO, música que a lançou, no Festival MPB 80, já trazia o orgulho da negritude.  Foi o primeiro sucesso, incluído no álbum de estreia.

 

Mas os discos mais marcantes da fase inicial foram o segundo e o terceiro, com arranjos de, entre outros, Lincoln Olivetti e Oberdan Magalhães (Banda Black Rio), muitos teclados e metais.  O sucesso OLHOS COLORIDOS puxava o álbum de 1982.  A incendiária VALE TUDO, do terceiro disco, vinha com a participação do autor, Tim Maia.  No álbum de 1984, primeiro para a Som Livre, Sandra abriu o leque, cantando samba, soul, pop, funk, blues e um ponto de macumba, de autores com o Lulu Santos, Guilherme Arantes, Jamil Joanes, FrejatCazuza.  A faixa bônus é o sucesso ENREDO DO MEU SAMBA (Ivone Lara/Jorge Aragão), da trilha na novela Partido Alto.

 

Com o nome alterado para Sandra de Sá em 1988, ela sempre foi uma artista militante dos movimentos sociais e de classe.  É presidente da União Brasileira de Compositores.

 

 

 

Fonte:  Zero Hora/Juarez Fonseca (juafons@gmail.com) em 12/08/2016