Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
13





Partilhe esta Página

                                             

                            

 

 

 


David Bowie e a Criação do Glitter
David Bowie e a Criação do Glitter

DAVID BOWIE E A CRIAÇÃO DO GLITTER

 

Em outro momento, a caixa FIVE YEARS seria assunto para enlouquecer os fãs de David Bowie (1947 – 2016).  Mas o box está passando batido, ofuscado por notícias mais impactantes.  Primeiro, pelo lançamento quase simultâneo ao último álbum do cantor, BLACKSTAR.  Depois, por sua morte, no dia 10.  Agora, após tudo o que foi falado sobre o seu legado, pode ser interessante escutar exemplos concretos de sua genialidade.

 

 

FIVE YEARS está repleta desses exemplos.  A coletânea contempla seus discos entre 1969 e 1973: DAVID BOWIE (1969, lançado também com o título SPACE ODDITY), THE MAN WHO SOLD THE WORLD (1970), HUNKY DORY (1971), THE RISE AND FALL OF ZIGGY STARDUST AND THE SPIDERS FROM MARS (1972), ALADDIN SANE (1973) e PIN UPS (1973).  De certa forma, podem ser considerados a sua primeira fase, porque o disco que lançou em 1967, com seu nome no título, é um “filho ilegítimo”: reunia canções de compactos que Bowie gravou sem rumo certo, muito jovem, aceitando sugestões pouco criteriosas de quem o acompanhava na época.

A partir do álbum de 1969 – e principalmente da canção SPACE ODDITY –, ele formataria o glitter, um momento espalhafatosamente criativo do rock.  Embora fosse o timoneiro, não fez tudo sozinho.  Correndo por fora, Marc Bolan (1947 – 1977) e Alice Cooper ajudaram.  As músicas do Bowie iniciante são ótimas.  Rock, sim, mas já cheio de referências de jazz, vaudeville, música de cabaré e um pouco de progressivo.

 

 

Em termos de comportamento, o glitter e sua androginia foram bem definidos pelo músico Gary Kemp, da banda Spandau Ballet, em entrevista reproduzida em vídeo na exposição sobre Bowie montada em 2015 no MIS-SP:  “Ele borrou as linhas limítrofes entre o masculino e o feminino”.ZIGGY STARDUST, com remixes.

Assista o vídeo de Bowie cantando Rebel Rebel em:  https://www.youtube.com/watch?v=Sa6bI_95G9I

 

Fonte:  ZeroHora/Thales de Menezes (Folhapress) em 02/02/2016