Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
5





                                              

                            

 

 

 


Todos os Belos Cavalos, de Corman McCarthy
Todos os Belos Cavalos, de Corman McCarthy

A VOLTA DO HOMEM A CAVALO

 

Romance clássico do americano Corman McCarthy, TODOS OS BELOS CAVALOS ganha nova edição no país. (Romance, Alfagurara, 280 páginas).

 

O cowboy voltou. Mais de uma década fora de catálogo, os clássicos de Cormac McCarthy TODOS OS BELOS CAVALOS acaba de ganhar uma nova edição no Brasil, desta vez pelo selo Alfaguara. Considerado um dos romances mais acessíveis de McCarthy, pela linealidade narrativa e empatia dos personagens, o livro é incontornável para quem quiser compreender porque o autor se tornou um dos maiores nomes da literatura americana contemporânea.

 

TODOS OS BELOS CAVALOS é o volume de abertura da chamada TRILOGIA DA FRONTEIRA, em que McCarthy explora a região entre o Texas e o México. Na trama, o velho patriarca de um rancho americano morre, e a família decide vender suas terras, que já não davam lucro há um bom tempo. Com 16 anos, o neto do homem não concorda com a perda de propriedade, que simboliza também um modo de vida – para o menino John Grady Cole, o cavalo é quase uma extensão de seu corpo e não há outro modo digno de ganhar a vida além de criar gado.

 

Cole e seu primo Rawlins decidem então fugir a cavalo rumo ao México, mas sem ter um plano muito elaborado do que fazer. É aí que a narrativa se adensa: a dupla busca no país vizinho, menos desenvolvido que os EUA, reproduzir o modo de viver de seus antepassados, mas depara com um mundo em que a lei e a razão são valores fluidos – e onde um americano sem dinheiro é logo considerado um pária.

 

A chegada na Hacienda de la Purísima Concepción, na qual Cole e Rawlins passam a trabalhar na doma de potros selvagens, é um dos pontos altos da narrativa. A rudeza dos companheiros logo é convertida em admiração quando o protagonismo demonstra sua maestria com os cavalos.

 

Os meninos vivem em seu paraíso idealizado até que uma tentação abala Cole: a bela e ousada filha de Don Hector, dono da terra. O envolvimento dos amantes fará com que o jovem e seu primo sejam expulsos. É como uma descida ao inferno. Ao sair da Purísima, a dupla de americanos precisa lidar co o México indomado, em que não é preciso ser culpado por um crime para merecer sua pena.

 

TODOS OS BELOS CAVALOS é uma crônica do México selvagem dos anos 1940 e um romance sobre as descobertas da vida adulta. No entanto, sua maior força está em uma característica marcante também em outros trabalhos de McCarthy: seus personagens parecem obedecer a leis que pouco compreendem – nem pela razão, nem pela religião – e que são incapazes de mudar. São só costumes que se reproduzem dia após dia, mas em algum momento entram em choque com novas ou distantes culturas. Cole e Rawlins experimentam esse embate, e o vivem com um misto de encantamento e danação.

 

Fonte: ZeroHora/Mundo Livro/Alexandre Lucchese (alexandre.lucchese@zerohora.com.br) em 01/09/2017.