Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
2





                                              

                            

 

 

 


Retrato número 4
Retrato número 4

Retrato número 4:

Após a utilização de uma “rifa” ou “ação entre amigos” feita na escola para arrecadar fundos para a área pedagógica e dos professores terem se empenhado em divulgar e pedir para que seus alunos vendessem o maior número possível de números da rifa, eis a conversa na sala dos professores em dia de reunião para fechamento do trimestre, isso antes das férias de inverno ou recesso escolar.

- Tá, nós escolhemos ir para a serra esse ano. Vamos e voltamos no mesmo dia. A saída será da casa da dire. Quem vai?

Duas professoras dizem não.

- Não? Por que, não? É por causa do valor? Nós vamos parcelar o custo!

- Não é a grana, eu tenho compromisso. Eu trabalho à noite, não tenho como conseguir dispensa. – justifica a primeira professora.

- Eu não vou. – responde a segunda.

- Tá sem grana?

- Não, eu não quero ir. Prefiro ficar em casa, aproveitando a minha cama.

Após essas duas negativas ao tal passeio que será realizado em dia de trabalho (orientação da Secretaria de Educação é que esse dia é de formação de professores), uma representante da equipe diretiva fala:

- Bem, já que estamos acertados (será repassado à secretaria que nesse dia estaremos em trabalho. Pauta: interatividade pedagógica). Ficamos acertadas que  sairemos da casa da dire às 8h. E estivemos conversando (equipe diretiva) e após termos percebido o empenho das profes em fazer os alunos venderem os números da rifa, nós iremos pagar a metade ou o valor total do passeio para todas as profes que irão a Serra.

- Com qual grana? – pergunta a segunda professora que se negou em ir viajar no dia de trabalho.

- Ah, com o dinheiro arrecadado da rifa.

----------------------------------------------------------------------------

Sem provas e sem fiscalização do órgão competente o que fazer nesse momento? E para piorar, as professoras que foram são cúmplices e as que não foram são perseguidas no ambiente de trabalho. E agora, leitor?