Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
8





                                              

                            

 

 

 


Pais "Espiões"
Pais "Espiões"

 

 

PAIS “ESPIÕES”.

 

Aplicativos permitem que a vida virtual dos filhos seja totalmente rastreada.  Necessidade ou neurose?

Pais precisam estar atentos ao que os filhos fazem na internet, mas aplicativos espiões causam polêmica.

 

O universo paralelo para onde os adolescentes se transportam quando estão conectados já não é mais livre da presença dos pais.  Mensagens, postagens em redes sociais e até localização podem ser acompanhadas pelos responsáveis, graças a uma série de aplicativos que rastreiam o aparelho dos filhos.  Invasão de privacidade, neurose ou gesto necessário para quem tem o papel de educar?  Não há consenso entre os especialistas.

Há opções para todas as necessidades.   Um dos aplicativos, o TeenSafe (Adolescente Seguro), relata aos pais conteúdos das redes sociais, mensagens enviadas e até deletadas em aplicativos como WhatsApp.  Já o MamaBear (Mamãe Urso) conecta toda a família de uma só vez e, além de dados das redes sociais, dá a localização de todos.  Os pais podem ainda selecionar palavras consideradas “impróprias” para uso nas postagens dos filhos.  E, claro, cada vez que elas forem usadas, os responsáveis ficam sabendo.

Em ambos os casos é preciso saber login e senha dos filhos para ter acesso aos “relatórios”.  Há aplicativos gratuitos e é possível baixa-los no Brasil, mas alguns só funcionam no iPhone.  Para o psiquiatra Fábio Barbirato, não se trata de invasão de privacidade.  Pelo contrário, ele considera dever dos responsáveis acompanhar atividades e amizades dos pequenos, inclusive no meio virtual.  “Os pais têm o dever de controlar tudo o que está acontecendo.  A criança não tem maturidade para saber o que está fazendo e pode acabar expondo toda a família a uma situação mais grave”, avalia o especialista.

Sem ameaças.

No caso do TeenSafe, o aplicativo pode funcionar secretamente.  Mas o psiquiatra afirma que os filhos devem ter ciência de que os pais têm acesso às atividades virtuais. Além disso, diz Barbirato, os mecanismos de controle não devem ser usados como ameaça do tipo:  “Se não me obedecer, vou te bisbilhotar”.  “Os responsáveis não devem ficar preocupados se os filhos ficarão ou não chateados.  Educar e dar limites também são formas de amar.”

Andreia Calçada, psicóloga e psicoterapeuta, concorda que é importante saber o que os filhos fazem na internet, mas considera os aplicativos excessivos, sobretudo se a intenção dos pais é proteger os filhos da violência.  “Em alguns momentos, pode ser útil ter esse tipo de aplicativo.”

 

CONFIRA SETE DICAS DE SEGURANÇA NA INTERNET.

Mesmo para a turma que já nasceu praticamente com smartphones nas mãos, a internet traz ameaças que às vezes são difíceis de identificar.  O lado bom da história é que existem soluções de segurança fáceis de usar e ao alcance de todos os pais.

São medidas simples que, quando incorporadas ao dia a dia digital da família, garantem uma navegação on-line mais segura.  Confira algumas dicas de segurança para os pais ficarem mais tranquilos ao emprestar ou dar um celular ou tablete aos filhos.

Limite o acesso a apenas aplicativos e jogos aprovados.

Quer compartilhar seu tablete sem compartilhar todas as suas coisas?  Em tablets rodando Android 4.3 ou superior, você pode criar perfis restritos que limitam o acesso de seus filhos a funcionalidades e conteúdos no seu tablete – o recurso é ideal para evitar que as crianças acessem conteúdo adulto.

Filtre conteúdos na Google Play.

É possível estabelecer filtros de maturidade por usuário para o download dos conteúdos disponíveis na loja virtual.  Dessa maneira, uma criança não conseguiria baixar e instalar aplicativos destinados a adultos.

Não instale apps de fontes desconhecidas.

Instale apenas os aplicativos disponíveis na loja oficial, seja Google Play, seja App Store.

Ative a busca segura.

Com o SafeSearch do Android ativado, é possível impedir que conteúdo adulto apareça nos resultados da busca.

O SafeSearch ajuda a evitar grande parte desse tipo de conteúdo, de maneira simples e rápida.  Basta acessar a página de configurações de Peszquisa e definir o nível de filtragem desejado.

Controle os vídeos no YouTube.

Para que os vídeos com conteúdo adulto sejam bloqueados para as crianças nos aparelhos da família, basta ativar o YouTube Safety Mode, uma operação que pode ser feita em apenas um passo.

Basta ir na opção de Configurações e selecionar o nível de segurança desejado.  Assim que isso for feito, a busca segura do YouTube será ativada automaticamente.

Proteja seus dados pessoais.

É importante ensinar crianças a não compartilharem informações pessoais on-line, como nome, endereço e fotos.  Também é fundamental alertar aos pequenos sobre a importância de não compartilhar senhas com ninguém, ainda que sejam  os melhores amigos.

Para evitar abordagens de adultos mal-intencionados na internet, os pais devem instruir as crianças a não conversarem com estranhos, da mesma forma que na vida real.

Ative o bloqueio automático de tela.

Escolha um PIN, uma senha ou um padrão de desenho e ative o bloqueio de tela automático.  Isso dificulta o acesso a dados salvos no aparelho e garante que ele esteja sempre bloqueado quando não estiver sendo utilizado.

 

CONHEÇA ALGUMAS OPÇÕES DE APLICATIVOS “ESPIÕES”.

 

TEENSAFE

Mostra tudo o que é postado em redes sociais, dá acesso a mensagens de texto enviadas e deletadas em aplicativos como WhatsApp, Snapchat e bate-papo do Facebook.  Há ainda a opção de bloquear pornografia e de limitar o tempo que o jovem passa on-line.  Além de no Smartphone (Android e iPhone), pode ser utilizado no computador (Windows XP, 7 e 8).  Custa 39 dólares (105 reais) por ano.

MAMA BEAR

O aplicativo é usado para conectar toda a família.  Alertas são enviados quando alguém está acima do limite de velocidade ou saiu de um determinado perímetro pré-estabelecido.  Há também o controle das redes sociais.  Não existe a opção de usar o aplicativo secretamente.

TIME AWAY

Permite que os pais controlem o tempo on-line e limitem o uso de aplicativos.  Além disso, informa sobre a localização dos adolescentes.  É grátis e compatível apenas com Android.

CANARY

Compatível com Android e iPhone, o aplicativo avisa aos pais se o smartphone dos filhos está sendo usado (para mandar mensagem, ligar ou acessar redes sociais) enquanto eles dirigem a mais de 20 quilômetros por hora.  Há alerta também quando o automóvel está em alta velocidade.  É possível ainda criar espaços considerados seguros para o filho transitar.  O aplicativo é gratuito por uma semana.  Depois, é preciso pagar 49 reais.

MMGUARDIAN

Permite localizar o celular, monitorar mensagens e controla o uso do aparelho.  É possível bloquear o uso do smartphone por períodos.  O aplicativo é capaz de restringir a perigosa combinação de direção e uso do celular simultaneamente.  Custa 10 reais por mês.

 

Fonte:  Jornal O Sul-Caderno Reportagem-01/03/2015

Pesquisa/Postagem:  Nell Morato