Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
5





                                              

                            

 

 

 


Os brasileiros e a "Liberdade de Expressão" (ALP)
Os brasileiros e a "Liberdade de Expressão" (ALP)

Os brasileiros e a “Liberdade de Expressão”

(crônica)

 

         A partir de 1988, com o fim da censura no Brasil, foi instituída a liberdade de expressão. Com isso o povo brasileiro passou a ter maior liberdade principalmente para mobilizar-se contra o regime militar e pela redemocratização do país, pois o militarismo  sufocava quem se opusesse à sua tirania.  Isso é um fato consumado, porém, o quê mudou até então? Dois fatos se fizeram notar: pode-se ir às praças públicas para reivindicar aumento salarial, reclamar do governo, (com cuidado), o outro é que se ganhou o direito e a liberdade de falar todos os palavrões que você quiser, e seus pulmões e garganta aguentar. Porém, para onde isso leva o “Cidadão” brasileiro? Suas contas, seu direito à saúde, alimento, transporte, trabalho, moradia e principalmente fazer valer o seu miserável “direito” de ser CIDADÃO!

          Por mais que se xingue, por mais que se grite, por mais que se bote a boca no mundo para denunciar, dizer que basta de corrupção! Que já estamos cansados de tanta roubalheira, tanto descaso com o dinheiro público, por mais que se peça em nome da saúde pública, por moradia digna, infraestrutura, melhoria nos serviços essenciais, no atendimento ao povo, no respeito ao “Cidadão”. Pessoas morrem à míngua, entregues à própria “sorte”, ou à morte, nos corredores de hospitais, nas filas do INSS, nas favelas ou no campo, tratados como lixo.

          Então nos vem à pergunta que não quer calar. Cadê a sua, a nossa “Liberdade de Expressão”? Ficou só no direito de falar palavrão? O povo brasileiro caiu no conto do vigário e achou que agora sim! Agora ele estava ou está com a bola toda! Agora sim, ele  pode exercer seus direitos e se expressar, principalmente já pode falar livremente todos os palavrões a que tem direito. Enquanto isso..., seus “Direitos”!... , E sua autoestima fica laaaaaá!!!.... Isso não é a repetição do famigerado (pão e circo), do tempo da Roma Antiga?

        O palavrão invadiu os lares, as salas de aula, as escolas, o cinema, o teatro, as universidades, as rodas de bate papo... Foi liberado até nas ruas!... E até nas igrejas... Nada contra!!! Não é puritanismo ou nostalgia da época da repressão! Não! Longe disso!!! Só, e, apenas, e tão somente fazendo uma análise fria dos fatos!!! Quer saber! Somos um povo desdentado, sofrido, humilhado, explorado!...Ganhamos o direito de falar todos os palavrões!!!, Mas... Somos um povo acima de tudo feliz com nossa Liberdade de Expressão!

          Obras superfaturadas, dinheiro nos Paraísos fiscais, habeas-corpus para libertar os corruptos! Isso é a liberdade deles que assistimos de camarote! Quando se trata de fazer valer a  “lei” ela funciona contra eles? Fronteiras escancaradas para toda sorte de tráfico e contra bando, a demora nas filas dos bancos ou no serviço público em geral, a enganação dos Call-Centers, que em sua total maioria são grupos estrangeiros humilhando, usurpando, e explorando o nosso povo tal qual, foi feito com o ouro e as pedras preciosas, tesouro da nossa nação que saiu às toneladas para os cofres de fora.

           Porque só se deve fazer valer a lei quando se trata de cidadãos do povo, especialmente aqueles mais humildes sem condições de fazer sua própria defesa? Então onde está sua liberdade de expressão? Será que o povo brasileiro consegue recuperar a sua autoestima e as perdas sofridas em todas as esferas ao longo de sua existência exercendo seu direito de falar palavrões? Porque a União não ressarcir para o povo brasileiro em forma de benefícios o dinheiro desviado dos cofres públicos pelos tantos  corruptos de ontem, de hoje e de sempre? 

Cadê a liberdade de expressão?

Quero a minha, a nossa Liberdade de Expressão!!!

 

Este texto está registrado no Escritório de Direitos Autorais sob o nº  576-645 Livro  1-101 Folha 218 Em 03/10/2012 RJ.

 

Arnaldo L. Pereira