Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
9





                                              

                            

 

 

 


Onde (e quando) os Negros têm Vez
Onde (e quando) os Negros têm Vez

ONDE (E QUANDO) OS NEGROS TÊM VEZ

 

CONSAGRADO NO FESTIVAL DE SUNDANCE, FILME SOBRE REVOLTA DE ESCRAVOS JÁ É APONTADO COMO CANDIDADO AO OSCAR – DE 2017.

 

A ausência de indicados negros no Oscar 2016 é, definitivamente, o tema da hora em Hollywood.  O assunto dominou a pauta do Sundance Festival, palco nobre do cinema independente norte-americano, cuja edição mais recente terminou no fim de semana em Park City, Utah.  Aclamado pela plateia presente ao evento, THE BIRTH OF A NATION, drama que narra uma revolta de escravos no século 19 na Virgínia, levou os principais prêmios do festival.  Adquirido pela Fox para distribuição internacional, o longa deve ganhar o circuito nos próximos meses e já é apontado como candidato ao Oscar 2017.

 

 

Escrito, dirigido e estrelado por Nate Parker, THE BIRTH OF A NATION foi o preferido do júri oficial e também do público.  Acompanha a trajetória de Nat Turner, um escravo e pregador alfabetizado e cortês que organiza uma rebelião nos anos que antecederam a Guerra Civil que assolou o país entre 1865 e 1869.  E que foi violentamente reprimida pelos produtores rurais e pelas forças armadas da época.

- Obrigado, Sundance, por criar uma plataforma para que possamos crescer, apesar do que o restante de Hollywood está fazendo – discursou Parker ao receber a premiação do evento criado pelo ator e diretor Robert Redford.

 

 

O diretor, que com THE BIRTH OF A NATION estreia no longa-metragem, também é ator – fez atuações de destaque em títulos como SEM ESCALAS (2014), A NEGOCIAÇÃO (2012), A VIDA SECRETA DAS ABELHAS (2008) e O GRANDE DEBATE (2007).  Tem 36 anos e é natural do Estado da Virgínia, onde se passa a ação de THE BIRTH OF A NATION.

 

QUANTIA RECORDE PELOS DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO

Conforme a imprensa dos EUA, a Fox pagou US$ 17,5 milhões para poder distribuir o longa – um recorde dos negócios em Sundance e da própria produção independente norte-americana como um todo, que tinha os US$ 10,5 milhões pagos também pela Fox para PEQUENA MISS SUNSHINE (2006) como maior quantia registrada até hoje.  Sony, Weinstein e Netflix tamb ém teriam disputado o lançamento de THE BIRTH OF A NATION, conforme divulgado pelos veículos do país.

 

 

Os outros vencedores de Sundance 2016 foram WEINER (sobre a volta à política do legislador Anthony Weiner, forçado a renunciar ao Congresso devido a um escândalo envolvendo o envio de mensagens de teor sexual) e SAND STORM (longa israelense sobre a luta das mulheres de uma cidade beduína), eleitos respectivamente o melhor documentário e o melhor longa estrangeiro pelo júri oficial do evento.  Os vencedores pelo júri popular foram JIM: THE JAMES FOLEY STORY, documentário sobre o jornalista decapitado em 2014 pelo grupo Estalo Islâmico, e LA CIÉNAGA ENTRE EL MAR Y LA TIERRA, filme colombiano de Manolo Cruz e Carlos Castillo.

Completa a lista dos premiados a produção alemã SONITA, sobre uma refugiada afegã que vive ilegalmente em Teerã e quer ser a nova Rihanna.  O longa de Rokhsareh Ghaemmaghami foi eleito o melhor documentário estrangeiro pelos dois júris do festival.

 

Fonte:  ZeroHora/Segundo Caderno em 2 de fevereiro de 2016.