Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
7





                                              

                            

 

 

 


O Prazer das Palavras 2/Prof.Cláudio Moreno
O Prazer das Palavras 2/Prof.Cláudio Moreno

O PRAZER DAS PALAVRAS

 

AS CRIANÇAS SÃO PÉSSIMOS PEDESTRES

O que um cartaz de condomínio diz sobre concordância e vírgulas.

 

Do fundo do tempo, eis que me reaparece o Antunes, parceiro dos antigos campeonatos de taco da minha infância.  Nunca mais nos vimos, mas nunca deixamos de ser camaradas.  Ele inicia o seu e-mail com um familiar “tchê, Moreno”, como fazia a cinquenta anos; tem acompanhado minhas colunas e resolveu “tirar uma dúvida”.  No condomínio onde ele mora, logo após o portão de entrada dos carros, há uma placa com os seguintes dizeres:  “Você pode ser um excelente motorista, mas nossas crianças são péssimos pedestres.  Portanto, cuidado!”.  Pergunta o Antunes:  “Está correta a concordância?  Não seria melhor dizer PÉSSIMAS PEDESTRES, concordando com CRIANÇAS?  E não daria para substituir SÃO por uma vírgula, para não repetir o verbo SER?  Já faz tanto tempo que enviei esta pergunta que resolvi mandar de novo”.

Meu caro amigo:  é necessário ter paciência, às vezes demoro a responder porque preciso de tempo para matutar sobre o problema.  Esse foi o caso da tua dúvida:  a princípio, como percebeste, a frase tem um som estranho; contudo, se pensarmos nela com calma, percebemos que o cartaz está correto.  As crianças do teu condomínio são PÉSSIMOS PEDESTRES assim como serão ÓTIMOS CIDADÃOS ou EXCELENTES ALUNOS – este masculino plural está sendo usado em sentido amplo, abrangente, exatamente para não trair o significado de CRIANÇAS, que aqui se refere a brasileirinhos de ambos os sexos.  A marca do feminino, se aparecesse aqui, excluiria os indivíduos do sexo masculino (não se confunda “sexo” com “gênero gramatical”); uma frase como “nossas crianças são ALUNAS APLICADAS” só estaria correta se estivéssemos falando apenas de meninas.

Para deixar mais clara a situação, vou comparar a frase do cartaz com oura que tenha os mesmos ingredientes.  Numa ponta, na posição de sujeito, vamos colocar a palavra TESTEMUNHA (que, do mesmo modo que CRIANÇA, é obrigatoriamente feminina); na outra, como predicativo, vamos colocar a palavra TURISTA (que, assim como PEDESTRE, marca o gênero nos artigos, pronomes ou adjetivos que a acompanham):  “Nossas testemunhas são AQUELES ASSUSTADOS TURISTAS” tem duas leituras:  ou nossas testemunhas são apenas homens ou, em sentido abrangente, são homens e mulheres juntos.  Ora, se, como tua pergunta sugere, fizéssemos a concordância do predicativo com o gênero de TESTEMUNHA – nossas testemunhas são AQUELAS ASSUSTADAS TURISTAS – o grupo ficaria restrito a pessoas do sexo feminino.

Quanto ao SÃO, sinto dizer-te que não poderia ser retirado da frase e substituído por uma vírgula, como é costume dizer quando se deixa elíptico o verbo da segunda oração (por exemplo, “Eu compro a carne; vocês, as bebidas e o carvão”).  No cartaz, as duas orações não têm formas verbais paralelas:  a primeira tem uma locução verbal (“pode ser”), enquanto a segunda tem apenas o verbo “ser”, o que impede a aplicação daquela regra de pontuação.

 

Fonte:  ZeroHora/Cláudio Moreno (cmoreno@terra.com.br) (escritor e professor) em 10/10/2015