Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
2





                                              

                            

 

 

 


O Livro Vai de Táxi.
O Livro Vai de Táxi.

O LIVRO VAI DE TÁXI.

 

Atenção, passageiro: o próximo táxi em que você embarcar na Capital dos gaúchos pode ser uma biblioteca sobre rodas.

 

Porto Alegre ganhou hoje 3 mil novas bibliotecas.  São de dimensões modestas, incapazes de acomodar mais do que três ou quatro livros, mas têm muitas qualidades: são móveis, não exigem cadastro nem data de devolução de empréstimos e ainda podem levar o leitor a qualquer ponto da cidade.  O projeto Bibliotáxi Poa transforma táxis da Capital em pontos de entrega e coleta de livros a partir desta manhã – a cerimônia que dá início à ação está marcada para as 11h, em frente à livraria Cameron do Shopping Total (Cristóvão Colombo, 545).

A iniciativa se soma a outras ações que buscam levar a leitura para o espaço público na Capital, que beneficiam desde usuários do Trensurb a quem passa nas calçadas do Bairro Bom Fim.  No Bibliotáxi, cada taxista cadastrado no projeto receberá uma bolsa com livros, que deverá ser suspensa na parte de trás do banco do caroneiro, possibilitando que os passageiros manuseiem os volumes ali guardados.  Quem quiser continuar sua leitura em casa poderá ficar com o livro, com a sugestão de devolvê-lo depois da leitura em outro táxi cadastrado.

- É uma boa oportunidade para que os passageiros pouco acostumados com a leitura entrem em contato com os livros.  É uma boa forma de passar o tempo, ainda mais com esse trânsito trancado que temos em Porto Alegre – aprova o taxista Paulo Fernando Consul.

Criado em São Paulo pelo Instituto Mobilidade verde, em parceria com o Catraca Livre, o Bibliotáxi ganha adeptos em outras regiões do país desde 2011, já tendo também circulado anteriormente em Porto Alegre.  Até agora, as tentativas de emplacar o projeto na Capital acabavam esmorecendo com a dificuldade em repor os livros que não eram devolvidos pelos usuários.  Agora, no entanto, a empresa Easy Taxi se responsabilizará por abastecer os táxis ao longo do primeiro ano do projeto, a partir de doações próprias, do Banco de Livros e da Secretaria Municipal de Cultura (SMC): serão pelo menos 20 mil livros distribuídos ao longo dos próximos 12 meses.

Tendo também como parceiros a Rádio Farroupilha, a Livraria Cameron e o Shopping Total, o projeto começou a tomar corpo no ano anterior, quando o Easy Táxi procurou apoio da prefeitura de Porto Alegre para implementar a ação na cidade.

- É a primeira vez que o Bibliotáxi se torna uma política pública oficial de incentivo à leitura – comenta Renata Borges, coordenadora do Conselho Municipal do Livro e da leitura. – Iniciativas como essa esbarram na dificuldade de manutenção.  Por isso, buscamos parceiros que pudessem dar continuidade à ação ao longo dos meses.

Embora a duração do projeto seja de um ano, há possibilidade de renová-lo depois deste prazo.  Taxistas que não fazem parte do Easy Táxi também poderão participar, mediante cadastro.

Mas os livros também podem chegar aos leitores de outras maneiras nas ruas da Capital.  A Bambucicloteca, por exemplo, é uma bicicleta de bambu que costuma carregar mais de uma centena de livros para parques da cidade nos finais de semana.  Cristiane Cubas, uma das idealizadoras do projeto, concorda que a manutenção em longo prazo é uma das maiores dificuldades de ideias como essa:

- A Bambucicloteca funciona desde 2013.  Já tivemos oito mediadores de leitura, mas hoje somos quatro.  Neste ano, estamos em busca de meios para que o projeto se mantenha pleno ao longo do tempo.

Para Renata Borges, a viabilidade depende também do senso de responsabilidade da população:

- É importante que ações como essas ganhem boa divulgação, para que todos possam usufruir e se sentirem parte ativa dessa história.

 

E VAI TAMBÉM...

DE TREM

Ler o trem é mais fácil para quem frequenta a biblioteca Livros sobre Trilhos.  Com acervo de mais de 6 mil títulos, disponíveis para retirada gratuita, o serviço é oferecido para usuários da Trensurb na plataforma de embarque da Estação Mercado.  A biblioteca funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h.  Para se cadastrar, é preciso levar documento de identidade, CPF, comprovante de residência atual (originais e cópias) e uma foto 3x4.

DE ÔNIBUS

Iniciado em 2008, o projeto Estante Pública transformou 16 pontos de ônibus de Porto Alegre em espaço para troca de livros.  Com a troca do mobiliário urbano, todas as estantes foram retiradas ao longo do tempo.  Já na rodoviária, desde junho funciona a ação Livros na Estrada, do coletivo Troca Viva, em parceria com a Veppo.  São caixas dispostas em três pontos da estação, dos quais os usuários podem retirar – e deixar – livros gratuitamente.

DE BICICLETA

Uma bicicleta feita de bambu leva livros para crianças e adultos na Capital.  A Bambucicloteca carrega cerca de 120 livros disponíveis para troca com os curiosos em parques e eventos literários da Capital.  Aos sábados, a bicicleta pode ser vista na Redenção, mas só se o clima colaborar – não pode haver chuva.  O projeto, que funciona desde 2013, é uma iniciativa do Cabaré do Verbo, em parceria com a FestiPoa Literária, o Cidade Baixa em Alta e a Art Bike Bamboo.

PELA CALÇADA

Desde março, árvores e postes do bairro Bom Fim estão se transformando em estantes públicas para retirada e doação de livros.  Mais inusitado do que dar de cara com um pequeno acervo na calçada é descobrir quem são os realizadores dessa empreitada: crianças de quatro a seis anos, estudantes do Centro de Desenvolvimento Integrado (CDI).  Atualmente, o projeto tem dois pontos na Rua Fernandes Vieira e um na Henrique Dias.  Em breve, o grupo deve equipar também uma árvore da João Telles.

 

Fonte:  Jornal ZeroHora/Alexandre Lucchese (alexandre.lucchese@zerohora.com.br) em 24/09/2015