Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
5





                                              

                            

 

 

 


Luiz Vaz de Camões
Luiz Vaz de Camões

Camões

 

       Resolvi falar em Camões. Hoje estive a lembrar a sua grandiosa obra e comecei a ler alguns textos seus. Que emoção! Que criatura não gostaria de saber colocar num papel branco, o sentimento e a grandeza das letras desse poeta? Desconhece-se a data e local exato onde teria nascido, no entanto admite-se que nasceu entre 1517 e 1525. Luís de Camões foi poeta português. Autor de "Os Lusíadas", uma das obras mais importantes da literatura portuguesa, que celebra os feitos marítimos e guerreiros de Portugal. É o maior representante do Classicismo português. Coimbra ou Lisboa? Não se sabe o local exato nem o ano de seu nascimento supõem-se por volta de 1524. A sua família, de origem galega, fixou-se no Concelho de Chaves, na freguesia de Vilar de Nantes, e mais tarde mudou-se para Coimbra e para Lisboa, por isso, ambos os lugares reivindicam ser o local do seu nascimento. Camões era por via paterna trineto do trovador galego Vasco Pires de Camões e, por via materna, aparentado com o navegador Vasco da Gama. Durante algum tempo viveu em Coimbra, supõem-se, onde frequentou o curso de Humanidades, provavelmente no Mosteiro de Santa Cruz, onde o seu tio D. Bento de Camões era padre.

 

       Não existem registos da passagem do poeta por Coimbra, contudo a cultura refinada dos seus escritos torna a única universidade de Portugal à altura, o lugar mais provável da sua educação. Filho de Simão Vaz de Camões e Ana de Sá e Macedo. Ingressa no Exército da Coroa de Portugal e em 1547 embarca como soldado para a África. Participa da guerra contra os Celtas. No Marrocos, em combate, perde o olho direito. "Viajante, letrado, humanista, trovador à maneira tradicional, fidalgo esfomeado, numa mão a pena e noutra a espada, salvando a nado num naufrágio, manuscrita, a grande obra da sua vida, Camões assumiu e meditou a experiência de toda uma civilização cujas contradições viveu na sua carne e procurou superar pela criação artística". Este comentário foi feito por dois grandes historiadores da literatura portuguesa, Antônio José Saraiva e Oscar Lopes, apontando a grandeza de um dos maiores poetas de todos os tempos.

 

       Sua vida está envolta em lendas. Não se tem certeza de todos os dados, sendo muitos deles baseados em suposições. Nascido de uma família da pequena nobreza, Luís Vaz de Camões recebeu uma educação esmerada e é o poeta erudito do Renascimento. Inspirou-se em canções ou trovas populares e escreveu poesias que lembram as cantigas medievais. Revela em seus poemas uma sensibilidade para os dramas humanos, amorosos ou existenciais. A maior parte da obra lírica de Camões é composta de sonetos e redondilhas, de uma perfeição geométrica, sem abuso de artifícios, tudo parece estar no lugar correto. Apesar da fama e do prestígio como poeta, seus últimos anos foram de miséria. Quando morreu o seu enterro foi pago por uma instituição de caridade, a Companhia dos Cortesãos. Luís Vaz de Camões morreu em Lisboa, Portugal, no dia 10 de junho 1580, em absoluta pobreza. Dez de Junho é dia de Camões. Uma data máxima para o povo português. Citando o próprio, fico a pensar em seus versos. “Mas, conquanto não pode haver desgosto / Onde esperança falta, lá me esconde / Amor um mal, que mata e não se vê; / Que dias há que na alma me tem posto / Um não sei quê, que nasce não sei onde, / Vem não sei como, e dói não sei porquê”. Portugal celebra o seu dia como uma grande data nacional. Não poderia ser diferente, visto a sua grandeza.

 

Lígia Beltrão