Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
13





                                              

                            

 

 

 


Lar para Crianças Peculiares, de Tim Burton
Lar para Crianças Peculiares, de Tim Burton

AVENTURA NA TERRA DOS PEQUENOS FANTÁSTICOS

 

Praticamente tudo o que se vê em LAR PARA CRIANÇAS PECULIARES já foi visto em dezenas de filmes recentes, inclusive assinados pelo próprio diretor Tim Burton: adaptação de um livro infantojuvenil de muito ou, no caso, relativo sucesso; um jovem protagonista que descobre ser possuidor de um dom especial que o capacita para ser o herói da aventura; viagem pelo tempo; crianças e adolescentes com poderes extraordinários abrigadas por um tutor igualmente fenomenal; pitadas de romance; criaturas esquisitas; e um vilão espalhafatoso para tocar o terror.

 

LAR PARA CRIANÇAS PECULIARES tem como matriz o livro ORFANATO DA SRTA. PEREGRINE PARA CRIANÇAS PECULIARES, primeiro título da trilogia escrita pelo americano Ranson Riggs, lançado no Brasil pela editora Leya – o segundo volume é CIDADE DOS ETÉREOS e o terceiro, ainda inédito no país, é LIBRARY OF SOULS.

 

A trama acompanha a jornada do adolescente Jake (Asa Butterfield, de A INVENÇÃO DE HUGO CABRET, de Martin Scorsese) para encontrar o universo mágico descrito por seu avô (Terence Stamp) em histórias que ninguém, além do rapaz, acredita.  Acompanhado pelo pai, que planeja a viagem como uma terapia para o introvertido filho, Jake chega a uma ilha do País de Gales.  E ali procura o orfanato em que o avô viveu e conviveu com crianças e jovens de fato peculiares: entre outras, a menina que domina o ar e precisa de botas de ferro para manter-se no chão,  a garota que transforma em chamas tudo o que toca, o pirralho invisível, o que projeta seus sonhos em uma tela, a que tem a boca na parte de trás da cabeça, a que tem força inversamente proporcional a seu tamanho e o que ressuscita mortos.

 

Jake, porém, descobre que do orfanato restam apenas ruínas.  O local foi destruído em 1943, por um bombardeio alemão na II Guerra.  Vasculhando entulhos, encontra essas figuras por meio de uma fenda temporal, passagem que lhe é permitida porque também ele é de uma linhagem especial.  E lá no passado se vê hospedado pela afetuosa e rigorosa diretora do abrigo, a senhorita Peregrine (Eva Green), capaz de se transformar em pássaro.  A missão de Jake será ajudar Peregrine a enfrentar o diabólico Barron (Samuel L. Jackson, no registro histriônico recorrente) e seu exército de criaturas medonhas, que precisam devorar olhos de gente para recuperar a condição humana.

 

Esse universo fantástico habitado por pessoas fora dos padrões é a praia de Burton, mestre e apresentar fábulas sombrias com um requinte visual de cair o queixo.  Mas Burton aqui pouco lembra o diretor de joias como FANTASMAS SE DIVERTEM (1988), EDWARD MÃOS DE TESOURA (1990), PEIXE GRANDE E SUS HISTÓRIAS MARAVILHOSAS (2003) e A NOIVA CADÁVER (2005), filmes com enredos que aparecem diluídos em LAR PARA CRIANÇAS PECULIARES.  Nenhum problema em reciclar ideias, pois está aí Quentin Tarantino para mostrar ao colega que é sempre possível ser original fazendo mais do mesmo.  E desta vez nem dá para dizer que o problema de Burton é Johnny Deep atuando no piloto automático.

 

TRAILER:  https://www.youtube.com/watch?v=DNn2F2nIky8

 

 

Fonte:  ZeroHora/Marcelo Perrone / marcelo.perrone@zerohora.com.br em 02/10/2016