Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
11





                                              

                            

 

 

 


Depressão Infantil
Depressão Infantil

DEPRESSÃO INFANTIL

 

De acordo com a última pesquisa Nacional de Saúde (PSN) realizada pelo Ministério da Saúde, em parceria com o IBG, entre agosto de 2013 e fevereiro de 2015, o país constatou 11,2 milhões de pacientes diagnosticados com DEPRESSÃO.  Recentemente, crianças e adolescentes passaram a fazer parte das estatísticas, pois o diagnóstico de DEPRESSÃO na faixa etária dos 06 a 12 anos, aumentou de 4,5% a 8% nos últimos 10 anos.

 

A DEPRESSÃO pode ser hereditária, reativa e secundária.  Por ser uma doença recorrente, requer um acompanhamento a longo prazo, uma pessoa que sofre de um episódio de DEPRESSÃO tem 50% de chance de desenvolver o segundo e 70% de desenvolver o terceiro episódio.  Ressaltando que filhos, netos e bisnetos de pessoas que passaram por um episódio de DEPRESSÃO, tem a probabilidade de desenvolver a doença, pois carregam geneticamente a tendência.

 

O estresse e a DEPRESSÃO nas crianças, se agrega principalmente pela sobrecarga de tarefas e cobranças de responsabilidades, comuns na fase escolar.  Por outro lado, maus tratos físicos, traumas, abusos sexuais e emocionais, bullying.

 

Quando nos referimos a maus tratos, é importante salientar que, não se trata apenas de abusos considerados físicos, mas também emocionais, como humilhar e agredir emocionalmente.

 

A DEPRESSÃO mexe tanto com a mente como com o corpo da criança, gerando consequências físicas e psicológicas.  Na pré-adolescência, a DEPRESSÃO é muito comum, devido a intensidade de sentimentos que não se consegue administrar.

 

A constatação deve ser imediata, nos primeiros sinais da disfunção (alteração de humor, ansiedade, desinteresse nos estudos, condutas antissociais e destrutivas, distúrbios do sono, etc...), é necessário a procura de um especialista para avaliar o caso e buscar o tratamento adequado.

 

Muitas crianças e pré-adolescentes, devido aos sintomas da Depressão, tem sua fase da vida mais importante interrompida, recorrendo a caminhos perigosos, como o uso de entorpecentes e até mesmo a tentativa de suicídio.

 

Ao primeiro sinal de DEPRESSÃO, os pais devem acolher essa criança e encaminhá-la a um profissional o mais rápido possível.  Lembrem-se: seu ilho precisa de atenção, com ou sem depressão, caso seja detectada, demonstre ainda mais amor e carinho, mesmo que ele tenha acompanhamento médico, o afeto de quem ele mais ama é importantíssimo.

 

Fonte:  Revista Procure e Ache / Terezinha Dinamar dos Santos, especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional neuropsicopedagogia.  www.procureeache.geramigos.com.br