Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
5





                                              

                            

 

 

 


A Passageira, de Salvador del Solar
A Passageira, de Salvador del Solar

“A PASSAGEIRA” PASSEIA PELA REALIDADE LATINO-AMERICANA

 

Prêmio Especial do Júri no Festival de Havana e melhor filme no Festival de Huelva, A PASSAGEIRA (2014) marca a estreia na direção do peruano Salvador del Solar, ator que despontou por conta de sua atuação no elogiado filme PANTALEÃO E AS VISITADORAS (2000). A PASSAGEIRA é uma coprodução entre Peru, Argentina e Espanha que oi indicada ao Goya de melhor filme ibero-americano e aos Prêmios Platino em cinco categorias.

 

A história começa mostrando a rotina de Harvey Magallanes (Damián Alcázar), um ex-militar que ganha a vida como taxista em Lima.  O protagonista tem um cliente fixo, um oficial reformado (Federico Luppi) que foi seu com andante no combate à guerrilha na região de Ayacucho e agora está senil e preso a uma cadeira de rodas.  A rotina monótona e cinza do motorista é sacudida quando um dia entra por acaso em seu carro uma mulher ligada a um episódio sombrio de seu passado sob às ordens do coronel, que no entanto não o reconhece.  Magallanes passa então a vigiar Celina (Magaly Solier), dona de um humilde salão de beleza na periferia da capital peruana que está prestes a perder seu negócio para uma agiota por não conseguir pagar um empréstimo. Esse reencontro perturbador depois de 25 anos motivará o homem a colocar em prática um plano arriscado para ajudar Celina a arranjar dinheiro e assim redimir-se com a jovem.

 

A trama de A PASSAGEIRA ganha densidade graças às interpretações do elenco, especialmente do trio central.  O ótimo ator mexicano Damián Alcázar, conhecido por papéis em filmes como O CRIME DO PADRE AMARO (2002) e na segunda temporada da série NARCOS, destaca-se na construção de seu atormentado e amargurado anti-herói, enquanto o veterano astro argentino Federico Luppi – de A ESPINHA DO DIABO (2001), MACHUCA (2004) e O LABIRINTO DO FAUNO (2006), entre diversos outros títulos – dá vida a um personagem rancoroso e silente lançando mão de recursos dramáticos econômicos.

 

Por fim, a bela atriz peruana de origem indígena Magaly Solier, que brilhou nos longas MADEINUSA (2006) e A TETA ASSUSTADA (2009), é responsável por um dos melhores momentos de A PASSAGEIRA ao fazer um emocionado desabafo em língua quéchua.  A imagem do grupo de homens brancos escutando Celina sem entender o que ela diz, pasmos como virtualmente toda a plateia, já que o discurso não é traduzido nas legendas, é uma potente síntese das fraturas históricas do continente latino-americano e de suas muitas dívidas sociais para com os despossuídos, os povos nativos, as mulheres e as vítimas da violência do poder.

 

TRAILER:  https://www.youtube.com/watch?v=bmPJQmm5vIA

 

Fonte:  ZeroHora/Roger Lerina (roger.lerina@zerohora.com.br) em 30/9/2016.