Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese




ONLINE
8





                                              

                            

 

 

 


A Família e a Criança por Lurdes Maravilha
A Família e a Criança por Lurdes Maravilha

A Família e a Criança

A família é o único meio capaz de oferecer uma grande diversidade de relações num núcleo deveras representativo da sociedade. Ela constitui a primeira sociedade, que garante o equilíbrio de uma sociedade em geral.

O bem-estar social passa pela família que cada ser humano tem ou teve. É para qualquer criança uma base estável indispensável para o seu futuro.

Qualquer teoria sociológica não nega a influência da família, nomeadamente na interiorização pela criação de valores, atitudes e papeis transmitidos pelos pais. A família transmite essencialmente os valores de realização que caracterizam uma sociedade industrial. Esses valores são muitas vezes induzidos às crianças graças aos papéis desenvolvidos pelos pais no grupo familiar e na sociedade.

O conceito de família para além da “célula” viva que integra, numa relação diferenciada e diferenciadora de pais, filhos e irmãos sob o mesmo teto e condições de vida, tem um sentido diversificado e polissémico.

É na família que a relação estabelecida é integralmente pessoal, constituindo-se em clima de multivalências sócio afetivas entre pai/mãe, irmãos/irmãs, pais/filhos, para além de outras situações de elementos ascendentes e colaterais, susceptíveis de integrar o mesmo universo familiar.

A família é, sem dúvida, o lugar privilegiado da socialização da criança e influencia a construção da sua personalidade, do seu Eu.

A estreita dependência que existe entre os membros da família, baseando-se principalmente num fogo de inter-relações factivas muito intensas, torna o meio familiar apto para responder às necessidades primitivas da criança e lhe favorecer a primeira elaboração de si e do mundo que a rodeia, segundo um modo essencialmente afetivo.

A família é principalmente um meio afetivo e é através dessa afetividade que “ela” modela a personalidade da criança nos seus dinamismos fundamentais.

A ação dos pais é constituída por dimensões privilegiadas na construção da personalidade dos seus filhos.

As práticas educativas dentro da família variam essencialmente com os papéis atribuídos a cada membro, as suas expectativas e os seus esquemas culturais.

Por conseguinte, a família pode e determina muitas vezes o desenvolvimento da criança e os seus níveis de desenvolução.

Por Lurdes Maravilha